quinta-feira, 13 de maio de 2010

Traças para que?

Segundo alguns dicionários, traças são insetos que destroem roupas de lã, tapetes e livro. Em sentido figurado, pessoas que lêem muito ou que comem muito também, são chamadas assim. Outro significado importante é que traças são aqueles que destroem pouco a pouco. Nesse significado que gostaria de me ater.
O Evangelho é Palavra de Vida Eterna, deve ser devorado, mas o Apóstolo Paulo diz que a letra mata. Francisco de Assis tinha um respeito muito grande pelas palavras. Porém, era avesso a regras humanas e tinha o Evangelho com verdadeira Regra. Organizar e definir coisas a partir de documentos e diretrizes, fazem parte da organização de qualquer sociedade humana. As coisas não podem sair do controle. Temos que caminhar em solo firme. Mas, deixar que a letra mate coisas boas, desde que assim o sejam, é pecado. Os fariseus eram doutores da lei, mas Jesus todo o tempo os condenava por suas práticas sem espiritualidade e cheia de ritualística, isso é uma fé sem sentido.
Muitos de nós temos regras, constituições e outros documentos decorados, porém não conseguimos vivenciar as palavras do Evangelho e o fazermos, como diz a nossa Regra, parte da vida, ou então a nossa vida. Lá aprendemos que devemos ser misericordiosos e bons. Jesus afirma que quem é por nós não será contra nós. Por que alguns irmãos insistem em criar rivalidades e usar documentos para causar separação e divisão?
Esses que agem assim são as traças. Destruindo tudo devagar acabam com a sabedoria de Deus. Pois, o Espírito sopra onde quer e não precisa de regras para isso. Traças malditas que acabam com os livros da vida. Que comem pelas beiradas para ficarem gordinhas de prestígio e serem conhecidas, pois vê em pessoas que são importantes a chance de escreverem seu nome na história. Traças que acabam com movimentos em nome da sua fome. Traças que calculam friamente cada paço de sua vida lentamente a fim de serem poderosas amanhã.
O que as traças não sabem é que o Senhor pode destruí-las com um simples peteleco. E fazê-las ficar com fome e sem fonte de alimentar-se.
A tristeza toma conta daqueles que querem fazer o livro ser lido por muitos, mas que os vêem sendo destruído por traças. As traças são gordinhas e cheias de artigos, definições e saberes que deixariam Francisco infeliz. As traças destroem tudo que vêem pela frente. Então traças para que? Para que traças?

quarta-feira, 12 de maio de 2010

Alegria Franciscana

Que bom poder encontrar os irmãos!! Em seu Testamento, Francisco deixou bem claro o aprendizado e a alegria que a vida em fraternidade trazia. Uma pena que a sociedade tenha esquecido a importância de se viver em grupo. Ou seja, de uma forma cooperativa. Juntos podemos mais. Muito mais!!
Isso foi o que senti ao ir ajudar os irmãos da Fraternidade Santo Antônio de Caxias. Eles tinham um sonho de iniciar um trabalho com crianças. Por isso nos contataram através do Regional Sudeste2 da Jufra do Brasil. Nos colocamos a disposição, eu e os irmãos de nossas fraternidades de Jufra e OFS.
Como foi bom!! Viver entre irmãos é maravilhoso! Isso não tem preço! Passamos a tarde trabalhando juntos e isso me fez pensar em como os primeiros frades e damianitas trabalhavam junto aos pobres ou no interior de seus mosteiros. Trabalho árduo, porém muito gratificante. Trabalhar para o Senhor é assim. Não nos sentimos cansados. Só sentimos prazer.
Lá encontramos aquelas crianças. Seus olhinhos brilhantes a cada história contada. Seu sorriso aberto a cada brincadeira. Sua alegria ao pronunciar o nome de Jesus.
Acho que nós franciscanos precisamos voltar a pensar nessas coisas. O sorriso de criança, o abraço do leproso o aperto de mão do irmão lobo.
Só isso basta! Paz e bem!!!

Nossa cruz é do tamanho que merecemos.

Não podemos reclamar e murmurar diante dos obstáculos impostos em nossas vidas.
Quase sempre queremos que tudo aconteça como achamos que deve ser. Mas Deus nos ensina e a vida, criada por ele, é uma trajetória cheia de obstáculos.
Temos que aprender com os problemas. Passar por cima. Isso é, carregar nossa cruz com elegância. Temos que acreditar que no final o bem sempre vence o mal. Pois, Deus está do lado do bem. E como nosso grande Pai saberá, na hora certa, nos recompensar por insistirmos em estar do lado D’ele.
Francisco de Assis vivia atormentado pelo caminho que deveria seguir. Foi até Clara e nela escutou a voz do Espírito Santo. Nós temos que procurar nossas respostas e alívios no diálogo e na oração. Devemos crer que só o bem vale a pena.
Conchavos, armadilhas, acertos e projetos de poder, não pertencem ao rol das práticas dos que procuram o bem. Mesmo que para isso tenhamos que pagar um alto preço.
Afinal de contas, Jesus já pagou o maior de todos os valores quando foi crucificado por nós.
Para aqueles, que querem ser cristãos essas práticas são inaceitáveis, para os franciscanos são um grande pecado. Pois, temos exemplos de homens que mesmo sem a magnitude do gesto de nosso Salvador, foram capazes de se entregar de corpo e alma a um projeto de construção do bem e não de construção de uma imagem pessoal ou de uma história para contar a seus netos de que o vovô foi um grande franciscano.
Ser franciscano é estar do lado do bem!! Ser franciscano é estar junto da Igreja! Ser Franciscano em última instância é estar do lado do pobre que represnta dentro da Teologia franciscana, a própria figura do Cristo.
Por isso irmãos, desconfiem daqueles que esquecem o ponto de partida e querem trilhar um caminho de flores entre encontros, congressos e lugares bonitos. Pois a nossa espiritualidade é vivida nas ruas, nos hospitais em ultima instância nos leprosários.
Quando vivemos assim, a nossa cruz fica leve. E podemos deixar as glórias desse mundo, para aqueles que as procuram em eleições e elogios dos outros irmãos. Fiquem com elas, pois para nós basta ser olhado pelo Pai, quando não somos merecedores nem de pedir a sua misericórdia!!

Paz e bem!!!
[ordiamerecedor de estar nem pedindo a sua misericlo Pai.uerem trilhar um caminho de flores entre encontros, congressos e lugar